27 março, 2011

inside of me;

Já não consigo tirar nada de dentro de mim, as palavras somem sem algum controle. Meu instinto de realidade descontrolou e já não me deixa agir. Tudo é errado. Tudo dá errado. E nessas horas eu imagino onde estão as pessoas que me diziam amar, mas desistiram de mim por muito pouco. Eu desejo um pouco mais de confiança por parte das pessoas em relação a mim. Meu humor é totalmente inconstante, mas não minha personalidade, minha palavra em dizer se sim ou que não.
Aos poucos eu vi as pessoas de afastando cada dia mais e confiei naquela frase ‘se for realmente seu, volta’ e percebi que estava mais sozinha do que pensava. Por experiência própria, quem sabe ou sente tudo que tem em mim, endoida. Por isso eu confiava certos assuntos a certas pessoas, que no final me machucavam e em momentos difíceis fazem tudo vir a tona. Estar sozinha me assusta e incomoda minha cabeça ao pensar que todos se foram sem eu ao menos saber o porquê. Eu nunca servi de motivo suficiente pra continuar, pra estar em alguma vida, eu nunca fui importante para permanecer, pra fazer alguma diferença, me assusta pensar na ideia de que eu não faço falta. Cansada de ficar submissa a pessoas e confiar que elas querem por mim o que eu desejaria a elas, cansada de ver todos se darem bem atropelando sentimentos alheios, cansada de querer fazer tudo certo e no final ver que foi tudo errado, cansada de sofrer a toa, cansada de ser machucada e ver a incompaixão dos outros em relação a como me sinto, cansada de sentir o que sinto, de querer o que quero, cansada de dar tiro no pé ou socar a parede, cansada de mentir pra mim esperando que doa menos, cansada de ser enganada e confundida como ingênua, cansada de dar segundas oportunidades, cansada de ouvir que o tempo vai melhor tudo mas não vai, por que o tempo não apaga o que se quer lembrar, ele não apaga aquilo que ninguém entende a falta que faz para você.
02 março, 2011

foco;

Já não me importo tanto com o sentimento das pessoas em relação a mim, ou a ausência deles; afinal pessoas mudam a todo momento, seus pensamentos, sua aparência, suas falas e atitudes, logo seus sentimentos mudam também em relação a tudo e todos, se importar é querer se decepcionar, se desgastar, se machucar.
  Percebi que se quero mudança tenho que começá-la em mim. É difícil mudar de verdade – pra melhor – mais difícil ainda é continuar a mudança sem voltar aos costumes, ao que já era fácil pois se tornou rotina. Eu quero continuar a mudança porque quero ter a oportunidade de ver meus objetivos sendo alcançados e talvez pela primeira vez a minha vida não parar ‘no meio do caminho’ e não ver um sonho se tornar realidade porque alguém disse que eu não ia conseguir, porque alguém me fez pensar em desistir e eu escutei, ou por simplesmente duvidar de mim mesma e da minha vontade de poder finalmente tornar-se alguém no qual me orgulhe.
Ocorreu um erro neste gadget