26 novembro, 2011

tempo passa

É engraçado ler seus próprios antigos desejos, antigas confissões, antigos amores, antigas amizades, antigos sonhos, idealizações. É divertido ver que o tempo passou e muita coisa não mudou, e o que mudou, tinha que mudar, era o melhor pra você, mesmo você sabendo disso só agora, anos depois. Eu costumava me apaixonar muito fácil, me dedicar as pessoas como se elas fossem confiáveis e verdadeiras. Eu conheci poucas pessoas assim. Já me peguei sorrindo e chorando pelo passado, e depois de tudo eu só vejo o quanto tudo valeu a pena, o quanto minha história foi sendo contada por mim mesma através de tudo que sempre costumei escrever. Eu me vi tão inspirada em certos tempos, onde tudo me ocupava demais, ser feliz me consumia, e outros que eu tinha tempo demais de sobra, pra reclamar do primeiro defeito que me viesse a mente. De 2009 pra cá minha vida é completamente outra. Agora eu começo acreditar na história que a vida de uma menina começa aos 15 anos. Eu acabei de fazer 17, e percebi o quanto tudo mudou, pra melhor! Eu me adaptei a flexibilidade das pessoas, a mudanças de humor e de comportamentos em relação a mim. Eu quero dizer, Obrigada. A tudo que me fez bem, a tudo que me fez mal, a tudo que me deixa boas e más lembranças, a todos que me ajudaram crescer, ou regredir, aos que me aconselharam e aos que me fizeram cair, aos meus amigos e aos meus inimigos(ou pelo menos aquelas pessoas que não tive afinidade), é, hoje eu tenho maturidade pra agradecer! Hoje essa sou eu, muito melhor que ontem. É bom saber que o tempo passou e ele te fez bem, acho que felicidade é isso, a certeza de que a vida não está passando em vão.
24 novembro, 2011

isso

22 novembro, 2011

"uma nova melodia"

"Sinto-me inerente aos sentimentos, incapaz de sofrer pelo que ainda não passou. Paz. Apenas paz. Lembro-me da tristeza e meio-que-do-nada meus olhos ficam lacrimejantes recordando daquilo que não é apenas fruto de um pesadelo que me fez perder o sono por tantas horas. Me peguei pensando naquilo que não devia, recordando daquelas velhas fitas cassetes que gravei em minha imaginação em momentos em que a solidão tomava de qualquer lugar onde eu habitava. Apesar de tudo, eis que sorrio. Tenho muita sorte. Suponho que relembrar do passado faz com que eu tome um banho de realidade e acorde para aquilo que até então não havia notado.
Tudo está bom. Muito bom. Quanto mais o tempo passa dou-me conta de que tudo que acontece à minha volta não é ruim como aparenta. Ainda sorrio. Porque sei que por mais que haja tempestade, ainda existe um lindo dia ensolarado, sorrindo, esperando pra nascer, pois uma das coisas que eu aprendi e nunca mais esquecer é que por mais que a vida seja dura, o tempo vai apagar aquilo que me feria e tocava cada vez mais as cicatrizes que os erros do passado provocaram.
Antes dos sonhos, a paz não se faz. A paz não se desfaz. A paz é inexistente pelo simples motivo de que você não têm idéia do que irá acontecer daqui a um minuto, uma hora, um dia, um mês, um ano. Você só vive o agora. Sem ter certeza do que te espera na linha de chegada dos sonhos. Ou até mesmo pensa como eu. Acredito que por mais que os sonhos pareçam coisas criadas pela minha cabeça pra eu finalmente acreditar na felicidade, eu espero por eles. Espero pra sorrir pra mim mesma na frente do espelho todos os dias. E perceber que o brilho dos meus olhos nunca vai se apagar enquanto eu acreditar naquilo que realmente quero acreditar."
21 novembro, 2011
“A gente morre. E quer saber o que a gente leva da vida, quando morre? Porra nenhuma. A gente só deixa. Acha que, no final, vai levar tuas cicatrizes? Sejam emocionais ou físicas. Não, né? Então pra que tanto medo de viver?— Tati Bernardi
20 novembro, 2011
‎"Eu comecei minha faxina. Tudo o que não serve mais (sentimentos, momentos, pessoas eu coloquei dentro de uma caixa. E joguei fora. (Sem apego. Sem melancolia. Sem saudade). A ordem é desocupar lugares. Filtrar emoções." Caio F.

não é?

18 novembro, 2011

inspiração do dia

"Se alguém é idiota o suficiente para te deixar, não seja idiota o suficiente para correr atrás."
17 novembro, 2011

ilusão

Garanto que tento te esquecer toda vez que olho pro celular e vejo que não existe nenhuma notificação. Eu pensei que dessa vez ia ser diferente. Tinha tudo pra ser diferente. Eu tentei ser diferente do que costumava ser. Nós estavamos tão lindos e eu poderia desejar viver numa foto de nós daquela noite. Você mesmo se confunde ao falar, e eu tentava te decodificar e desvendar cada pensamento, cada bom pensamento. Acho que me enganei. Com todos, ou a maioria deles. Eu me iludi esperando mais do que um beijo de testa carinhoso, eu me iludi achando que dessa vez seria diferente, eu me iludi achando que vestido e maquiagem mudariam algo, eu me iludi e me iludo toda vez que me pego lembrando seus sorrisos e abraços. Eu sempre quis uma armadura contra o amor, contra amar. Mas no fundo eu queria que ele chegasse sem pedir, sem avisar, que encontrasse alguém que queria a mesma coisa e que nós nos encontrássemos. Eu sempre me pego imaginando conversas desejadas ou noites bem acabados, só lá, na minha doce mente. Agora, os dias vão passando devagar, e minha vontade de amar vai pegando a mesma velocidade. Sem correr, sem parar, sem olhar pra frente ou pra trás, mas bom mesmo seria acordar com sua sms de bom dia ou dormi com uma de boa noite. Mas a promessa de ações do dia seguinte são para garotos loucamente apaixonados, ou pelo menos interessados, não é o seu caso, não é de nenhum dos que eu me enganei. E eu estou por ai, tentando acordar do meu eterno fairtyle, onde meus príncipes dizem e provam que adoraram me conhecer.
15 novembro, 2011

me enganei

Você tenta correr contra o tempo só pra voltar na noite que estava com ele. Tenta impedir que o sol saia de onde vem e puxa as estrelas com toda a força mental que você consegue. Você promete mil coisas só para aquilo ser tão real quando você está vendo. Você precisava de mais, não alguns minutos, e talvez nem horas. Precisava de dias a mais ali. Ou precisava de dele com você, a qualquer lugar, a qualquer horário, a qualquer caminho de sonhos com alguém que também acreditasse o quão real tudo aquilo aparentava.
Eu desejei até o ultimo minuto daquela noite que você fosse mais fofo, mais gentil, mais atencioso, mais amável. E meus desejos cada vez mais inúteis foram sendo riscados por você, um a um, acabou a lista e o meu tempo, eu disse boa noite, e me despedi de todos os seus amigos. Sai andando, sem mente, sem idéias, mas pareceu que você resolveu cair na real. Meu sorriso com seu ato fofo, gentil, atencioso e amável foi simplesmente arrancado por saber que precisaram te lembrar de despedir, corretamente, antes que eu fosse  embora. Me iludi com beijo de boa noite achando que era a certeza do começo de todos os meus desejos mentais estendido para mais que uma noite, que no fim foi apenas um “adeus”.
Ocorreu um erro neste gadget