31 outubro, 2010

respostas.

Tudo desabou, em mim é claro. O dia andava tão bem. Meu sorriso apareceu junto a conversas idiotas e pessoas felizes próximas a mim. Era pra ser bom, mas não conseguiria com uma amiga mal. Pensei que passaria, ainda duvidava que era realmente por aquilo que ela sofria e chorava desesperadamente. Tentei ajudá-la. Briguei com minha mãe. Desabei nela. Parei, ela não merecia isso. Minhas dores nesse momento teriam que ser só minhas. OK. Páginas abertas, curiosidade a solta, li o que não queria, desabei em lágrimas.Não poderia contar com ela agora. Contei com outra amiga. Foi bom, obrigada! Mas ainda sim não era isso que precisava. Eu queria ouvir tudo que ele tinha a dizer, tudo que se passava e se passa na cabeça dele ao lembrar de tudo, desde o inicio. Ele um dia achou que isso tudo daria certo? Ou não? Depois daquelas frases de ontem, agora cravadas em minha mente, eu não paro de pensar (de novo) em tudo. E começa aqueles mesmos questionamentos. Eu só quero respostas. Seria o suficiente pra mim. Não quero que faça nada, não mais. Eu não preciso mais, eu quero seguir mas não quero pensar no passado como uma interrogação, quero respostas concretas a tudo que aconteceu. É só. Dá pra conversar comigo? Não queria escutar nada de você dos seus amigos, muito menos dela.Mas isso se tornou impossível e a espera desgastante. Percebo que devo partir na dúvida..




'because waiting for you is like waiting for rain in this drought. Useless and disappointing!' (Porque esperar por você é esperar por chuva nessa seca, ínutil e decepcionante.)
30 outubro, 2010

se importe.


E você tenta se afastar, por um instante talvez, de tudo aquilo que te faz mal. Quer apenas sentir seu coração bater aceleradamente mesmo que de raiva, e escutar o silêncio da sua mente. Sentir o vento bater ao rosto e seus dedos doerem com o salto.
Não posso dizer tudo que penso, e não consigo escrever tudo que falo. São pensamentos consecutivos substituídos a cada segundo por outro, e por outro. Minha cabeça dói, minha vontade é chorar em meio à multidão e gritar um pedido de socorro, alguém pra arrancar toda essa dor que está no meu peito, arrancar aquela estaca que me foi inserida. Quero fugir, sumir, por apenas um instante não pensar em absolutamente nada, mas pessoas ao meu redor falam continuamente, quero silêncio, quero paz. Sabe aquela frase que estar sozinha é estar no meio a uma multidão e precisar apenas de uma? Não combina comigo nesse momento. Eu não preciso de ninguém agora, qual a parte do ‘s-o-z-i-n-h-a’ ninguém me entende? Eu estou exausta, não só de cansaço do meu corpo inteiramente dolorido, é meu coração que se questiona muito e eu não tenho respostas. É cansaço do amor. Estou cansada de amar, cansada de dá o meu melhor, cansada de viver. Desgastei-me demais. Chega um momento que a única resposta que eu tenho é o simples ‘isso passa’, resposta tosca e que não conforta nenhum pouco.
Faço tudo por todos aqueles que eu amo, tudo ao meu alcance. Sou retribuída com ignorância, brigas e mentiras. Eu só quero dizer que eu estou fora disso, desse ninho de cobras, dessa farça de vida. Não quero essa multidão ao meu redor. Quero apenas uma pessoa que realmente se importe, com a vida, com o amor, com sentimentos, comigo.

It's Alright, OK. I'm so much better without you. I won't be sorry. Alright, Ok. So don't you bother what I do, No matter what you say ,I won't return!
29 outubro, 2010

algo novo.

E talvez o impulso me levou a isso. A dizer o que eu realmente sentia. Não escutei o que quis. That's Ok, minha culpa. Nossas conversas tem rendido assustadoramente, mais do que o devido, ou esperado. É com você que consigo rir e esquecer subitamente o que aconteceu, exatamente com você, estranho não? Eu só não consigo pensar que se importa com aquilo , puf! Inútil, não tem volta e tenho dito, não toque mais no assunto por favor.
A vida tem me surpreendido nos últimos dias, eu sou mais forte e ao mesmo tempo mais fraca do que me subestimava, e agora a grande dúvida é apenas 'por onde seguir'. Afinal, aquele antigo caminho talvez não seja mais seguro e eu não quero continuar assim. Eu quero seguir, só não sei pra onde.
Suplico algo novo, em qualquer sentido. Estou pensando já em algo, nada concreto é lógico, planos. Não quero pessoas novas, eu quero excluir as velhas. Quando tiver certeza que só pessoas agradáveis estão ao meu redor abrirei espaço pra novas, mas agora não. Hoje não sou melhor companhia pra ninguém. É fato.
Essa semana foi corrida, foi muito ruim em todos os aspectos, muita coisa pra fazer, tinha realmente que fazer tudo, fiz muita coisa que nem precisava, acabei extrapolando com o tempo, me cansei e pra finalizar estou com uma sorte imensa e meu sorriso ainda não voltou. yeah!

final de semana + feriado = computador + seriado + filme + comer + dormir (muito). hahah alguma ideia melhor?;*
27 outubro, 2010

so far away.


Meus sentidos estão voltando ao normal e minha mente se esvazia mais a cada dia. Eu tentei achar culpados na história, culpei ele, culpa ela, culpei a mim, culpei aquele outro alguém. Enfim, não tem culpados nisso, se os tivesse já estariam sofrendo as conseqüências e a unica que sofre desesperamente aqui sou eu. A raiva dentro de mim não tem diminuido tanto senão ao menos chorar de tristeza eu conseguiria, nem isso.
Nao sou do tipo de pessoa que responde realmente como está com uma simples pergunta de msn 'tudo bem?' ou 'joia?', raramente você leria eu dizer outra coisa a não ser 'joia', 'tudo', 'boa demais' ou se não tivesse tão bem responderia apenas 'unhum'. Esse é o máximo. Nos últimos dias pelo contrário ninguém leu eu dizendo isso, era de 'nada bem' pra pior. E pra mim dizer isso a alguém que talvez nem meu amigo seja? Presta atenção.. eu estou muito mal.
E é realmente assim que estou, mas descobri que sou mais forte que esse terremoto que me destruiu, e sou mais fraca que apenas o primeiro suspiro dela ao te beijar.
Agora eu quero distancia, só isso. Me entendam. Não tem nada a justificar, nada a se desculpa, nada a me contar. Ele fez o que faria com qualquer outra, ( e talvez isso tenha me magoado, por ser ela.), ela agiu por impulso e seu estado estava favorável (o que também não me convém perdoá-la). Me contar o que né? Por pior que pareça eu estava lá, vi tudo, do inicio ao fim, e a cada segundo de vocês está tatuado em uma parte da minha cabeça. Nas piores lembranças.

Now, I want stay so far away
26 outubro, 2010

entenda.


Agora é esperar você se decidir. Eu tentei, por mais errado que pode ter sido, era o que meu coração gritava. Eu tinha que dizer, eu ainda te espero. Eu ainda te dou uma chance pra me provar que pode dar certo. Eu quero isso. Não vou cair no jogo dela, eu não posso. Já feri sentimentos demais, quero deixa ao menos esse sobreviver. Me trouxe a pontinha de esperança, espero não ser vão esperar.
Talvez ninguém entenda minha decisão. Mas é isso que quero. Com ele quero estar. Sentimentos falaram por mim e agora espero apenas uma resposta. Aquela assim espero. Se não, é bola pra frente. Eu sei que é mais fácil falar, mas é a realidade. Não a nada mais ao meu alcance e espero que você entenda.
Pode ser mais um erro. Ao menos vou poder dizer que fiz o que pude.


Cause with you, I'd withstand. All of hell to hold your hand. I'd give it all. I'd give for us.
24 outubro, 2010

obrigada.


Eu não sei por onde começar tal declaração.
Primeiramente quero declarar que fui cruelmente ferida. Por estacas ao peito e agora eu não vivo mais. Eu sobrevivo pela raiva e pela pouca dignidade que me resta. O amor? Gastei o restinho que havia sobrado, parte dele foi derramado junto ao sangue das estacas, com uma pessoa que talvez não o merecia.
Era uma amiga, com qual contei parte dos meus melhores e piores momentos, que vivia na minha casa, que trocávamos roupas, que saiamos juntas, que fomos colegas, que pensava que a conhecia, mas não. O tempo passa, pessoas mudam, fazem merdas, se desculpam, algumas fingem perdoar, mas é inevitável, as cicatrizes sempre vão te lembrar pra ficar com um pé atrás, afinal ela já te machucou cruelmente uma vez, porque não duas? Declaro que estou fugindo disso. É, fugindo. Não quero mais que saibam meu paradeiro, como estou ou deixo de estar. Não precisa mais. Precisava antes saber um pouco mais de mim, talvez não teria feito o que fez. Poupe-me suas palavras com sua noite maravilhosa com a única pessoa que eu queria ao meu lado de agora pra frente. Obrigada por destruir meus sonhos e esmagar toda a minha esperança de fazer a diferença e mudar algumas circunstâncias e torna-las ao meu favor. Tornar-las próprias a minha felicidade, próximas ao meu sorriso. Obrigada por me fazer lembrar que aquela paz que aquele menino de antigamente me retirou por quase 2 anos e que agora voltara partiu rapidamente sem data de retorno.
Obrigada a você, por essa tal amizade que você diz que existia. Fique com ela pra você. Muito Obrigada por transformar meses de paciência e esperança, em horas de sofrimento e desespero.
Como disse uma amiga.. 'não sei porque eu ainda insisto em tentar mudar as coisas!'
Essas que talvez serão eternamente imutáveis ao meu alcance.

Ignorance is my new best friend.
22 outubro, 2010

música.


Perdi todas as minhas músicas. Quero declarar que achei que seria o fim do mundo. Minhas músicas são parte de mim. Cada uma delas me lembra algo, não tem jeito. Eu escuto de tudo simplesmente porque cada música me encanta de uma forma, seja a letra ou ritmo. Eu sou do tipo que conhece a música depois que ela já saiu dos ‘top10’, e não importa se é modinha ou totalmente desconhecida, se eu gostei, eu escuto. Para todos os meus momentos sempre há uma música a me traduzir. Sempre. Eu amo música. Eu amo violão, mas não sei tocar. Eu amo música internacional, mas sei cantar metade delas e ainda sim.. rs. Música é a tradução da minha mente, é a minha voz dizendo o que o meu coração está cheio, sufocado.
Um beijo pra você que ama música! Um ótimo final de semana pra vocês com muita música de preferência.
PS: Sempre que gostarem de uma música me mandem? Garanto que vou amar ter lembrado de mim, a música eu já não posso garantir, rs. Prometo fazer um post com algumas das minhas favoritas ooks? Kiss ;*
21 outubro, 2010

do amor.


Sinto falta. Essa é a verdade. De alguém pra amar, de chamar de nomes fofinhos e idiotas. Alguém que sorria pra mim ao me ver. Alguém que tenha sentimento recíproco ao meu. Ou apenas algum sentimento. Já seria o suficiente. Cada dia que passa me torno fria e inconseqüente. Acho que fiquei presa por tempo demais, e o suficiente pra mim agora cometer loucuras e pensar em planos impossíveis. Tem tantos que queria apontar o dedo e dizer é ele. Mas não é nenhum deles eu creio. Atirei fechas de cupido para todos os lados. Nenhuma voltou. E agora me sinto vazia. E faço disso justificativas para tudo que faço. Não a nada a justificar, meus amigos não precisam e meus inimigos não iria acreditar não é mesmo?
Mais um ano de vida e eu estou louca, é, quantos questionamentos na minha cabeça, quantas perguntas sem resposta, quanta resposta a nenhuma pergunta. É inacreditável como tudo muda ao longo de certo tempo, querendo ou não. É algo inevitável e não depende só de mim ou de você. A um mundo lá fora, os atos de cada um influencia na vida de outras pessoas, é lógico. Quando penso que a um ano atrás eu sofria de amores e jurava nunca esquece-lo, e hoje eu não sei mais o que é isso, nem sei o que é fazer de sequer algo por uma pessoa, quanto mais tudo. Eu já fui frágil e sensível demais. Esse tempo já foi, e hoje me tornei fria e vingativa(*). Amigas, amigas, idiotas a parte, passam e são apenas mais um. Quero apenas um que permaneça na minha vida, eu sinto falta de sonhar, de viver, eu sinto falta do amor.
(*) = Letícia Nogara.
20 outubro, 2010

eterno monólogo.


Quanto tempo passou, quantas amizades que jurei eternas acabaram. Quantas pessoas eu conheço, e quantos amigos eu tenho. É espantoso. Hoje caminho sozinha, é o melhor. Ninguém permanece pra sempre, é algo real e óbvio. Não tente me enganar dizendo ser eterno, eu não acredito, não mais. Estou me adaptando ao mundo real, ao mundo solitário, ao mundo onde eu sou o centro e os extremos do meu universo. Não existe mais ninguém. Esse é o meu mundo. Essa é a minha história, o meu conto, sem príncipes e finais felizes para sempre.
Pessoas são influenciáveis, adaptáveis. Todas são. Algumas fingem não ser, outras mostram isso explicitamente, qualidades adoráveis e notáveis é apenas fachada, a melhor qualidade de uma pessoa é aquela que quase ninguém conhece, quando todos sabem ela se torna desgastante. A melhor qualidade é você saber que é a melhor naquilo que faz. Quero declarar que ainda não descobrir a minha,(tenso). Cada dia mais confusa, mais letras e conseqüentemente palavras, embaralhadas e afastadas, e assim como eu cada dia mais distantes em um eterno monólogo.
08 outubro, 2010

capacidade.


Usar as pessoas se tornou rotina. Usamos uns aos outros para motivos inacreditáveis. Desde motivos simploreos e significativos até desejos idiotas momentâneos. A capacidade do ser humano em usar uns aos outros é quase estranho. Sim, precisamos uns dos outros, os amigos por exemplos se ajudam, mas sempre se ajudam, e podem contar um com o outro. A parte dos amigos existe o tipo de pessoa que está perto de você apenas quando precisa e isso se torna notável a certo tempo. Sinto-me bem idiota quando sou usada para tal. Passei tanto tempo a acreditar que você mudaria, e agora declaro que já fui assim, cresci, mudei e acho incrível a maneira como as pessoas se transformam quando precisam de você, sinicas e superficiais.
04 outubro, 2010

janela.

As vezes o melhor é sempre se afastar. Mesmo que seja a decisão mais dura e difícil. Afastar-se resolve parte dos problemas, e cria alguns, como a saudade. Saudade de um tempo que não volta. Saudade dele, saudade dos abraços e carinhos. Saudade apenas de suas palavras que a faziam rir sinceramente. Afastar-se se tornou minha melhor solução, implica em sair de fininho e ver apenas quem realmente sente sua falta. E voltar pra lá. E se ninguém sentir falta? É. Fiquei apenas parada na janela na esperança de alguém sentir. Enquanto não vem eu fico aqui, apenas observando o mundo da janela, onde está seguro e não corro perigo de me enganar. (de novo).
Ocorreu um erro neste gadget